Descontrole financeiro é maior causa do superendividamento

O descontrole financeiro (42%), desemprego (22%), redução de renda (14%) e doença pessoal ou de familiar (12%) são os principais motivos que levam ao superendividamento.
Essa é a conclusão de levantamento feito entre outubro de 2012 e agosto desse ano com 658 consumidores atendidos pelo Programa de Apoio ao Superendividado (PAS) do Procon-SP.
O consumidor é considerado superendividado quando sua quantidade de dívidas é maior do que a sua renda mensal, mesmo que o seu nome não esteja sujo.
Isso faz com que o devedor não consiga garantir o pagamento de contas básicas, como água, luz, alimentação, saúde, educação e transporte. (conheça 12 maneiras de enxugar o orçamento)
O objetivo do PAS é educar superendividados e promover a renegociação direta ou audiências de renegociação de dívidas com credores, de acordo com o orçamento familiar. No período, 51% dessas negociações e audiências tiveram resultados positivos. (confira os 10 passos para renegociar dívidas com o banco).
Perfil do superendividado
A maioria dos consumidores que passaram pelo PAS são homens (52%) e quase metade são casados (48%).
Quase metade declarou ter renda de 1 mil reais a 2,9 mil reais (48%). Já 17% declararam renda entre 4 mil reais e 7,9 mil reais. Consumidores com renda entre 3 mil reais e 3,9 mil reais somam 14%. Quem ganha de 8 mil reais a 10 mil reais representam 5% e, acima de 15 mil reais, 1%.
A faixa etária entre 31 e 50 anos concentra a maior parte desses devedores (51%). A faixa entre 50 e 60 anos corresponde a 19% e, entre 21 e 30 anos, 16%. Devedores acima de 60 anos somam 13%.
Quase metade tem curso superior ou é pós-graduado (46% e 2%, respectivamente). Os superendividados que cursaram apenas o ensino médio somam 38%.
A maior parte dos devedores estáo inseridos no mercado de trabalho (68%) e são aposentados (15%). Apenas 8% estão desempregados e 4% são trabalhadores autônomos.
Por Marília Almeida, de Exame.com.

Translate »