Pesquisa mostra que o brasileiro paga mais imposto do que deveria

Dois estudos divulgados hoje mostram que a carga tributária está subindo no Brasil. No caso do imposto de renda, por falta de atualização da tabela.
O Dieese calculou o reajuste acumulado da tabela do imposto de renda entre janeiro de 1996 e dezembro de 2013 e a inflação no mesmo período para concluir que a correção do imposto ficou 61,42% abaixo da inflação.
Pela tabela em vigor, está isento quem ganha até R$ 1.687,77, mas pelas contas do Dieese, se a correção fosse aplicada integralmente, só deveria pagar imposto de renda quem ganha mais de R$ 2.885,82 e só deveria pagar a alíquota mais alta do imposto quem recebe salário maior que R$ 7.200 e não de R$ 4.400, como é hoje.
“Primeira coisa a ser feita é corrigir a tabela nos mesmos percentuais de inflação. Isso já ajustaria essa defasagem e esse problema seria sanado”, explica Airton dos Santos, coordenador do Dieese.
Outro estudo divulgado também hoje comparou a arrecadação de impostos com o PIB dos países da América Latina. O Brasil foi apontado como o país que tem a segunda maior carga tributária. No levantamento feito pela OCDE, a organização para a cooperação e o desenvolvimento econômico, só ficamos atrás da Argentina.
Os impostos pagos pelos brasileiros em 2012 somaram 36,3% do PIB. Nossa carga tributária vem crescendo desde 2009 e é maior até do que a média calculada pela OCDE em 34 países, muitos deles desenvolvidos.
“Você paga segurança privada, escola privada, saúde privada e ainda paga a pública. Então você está pagando duas vezes. Não pode ser levado apenas em consideração o quanto você paga, mas também é necessário que se leve em consideração o quanto você recebe do estado”, afirma Fernando Zilveti, professor de finanças da FGV.
Por Roberto Paiva, do Jornal da Globo.

Translate »