Locamerica-Unidas se relança com marca única e entra em assinatura de carros

A Locamerica-Unidas, segundo maior grupo de aluguel de veículos do Brasil, anunciou nesta quarta-feira o relançamento de suas operações no país sob marca única e com entrada no segmento de assinatura de uso de carros, já explorado por rivais.
O relançamento da empresa ocorre com a ampliação dos investimentos em marketing de 12 milhões para 30 milhões a 40
milhões de reais por ano, disse Luis Fernando Porto, presidente-executivo da companhia, que a partir do relançamento
passou a se chamar apenas Unidas.
“Nossa expectativa é muito positiva, o mercado vai crescer mais de dois dígitos de novo este ano, apesar do cenário incerto
e a economia sinalizando um cenário macrodifícil”, disse Porto. Ele citou mudanças nas preferências dos consumidores em direção ao consumo de veículos como serviço, e a própria desvalorização do real, que favorece viagens dentro do Brasil, algo mencionado pela rival Movida na semana passada.
É no contexto desta mudança, que também tem sido favorecida pela expansão de empresas de aplicativos de transporte como
Uber, 99 e Cabify, que a Unidas anunciou o produto de assinatura de veículos, que pode representar 2 a 4 por cento do faturamento do grupo nos próximos quatro anos, disse Porto.
Em 2017, o mercado de locação de veículos do Brasil cresceu 12,5 por cento e este ano “será mais de 10 por cento”, disse o
executivo. Além dos recursos em marketing, a empresa vai investir 10 milhões de reais em revitalização de lojas, disse Porto. A
Unidas tem 218 lojas de aluguel de carros e 81 de venda de seminovos em 153 cidades do país.
A Locamerica concluiu em março a compra da Unidas, anunciada em dezembro passado, uma operação em dinheiro
e ações que marcou a saída das empresas de investimento Vinci Partners, Kinea e Gavea do capital da Unidas. A norte-americana Enterprise ficou com 10,75 por cento da empresa.
Passada a fase de planejamento da empresa combinada, Porto disse que agora o grupo volta para a rota de expansão, prevendo
abertura de 5 a 10 lojas de venda de seminovos neste ano e também em 2019. A empresa também pretende ampliar sua frota para 2019, disse Porto, sem estimar volumes. Segundo ele, a Unidas vai iniciar negociações com montadoras de veículos em outubro e deve fechar a encomenda até o final do ano.
No fim do primeiro semestre, a Unidas tinha uma frota de 108,3 mil veículos, dos quais cerca de 70 mil na área de gestão
de frotas e 35 mil na divisão de aluguel. A líder do setor Localiza fechou junho com 208,5 mil carros na frota.

Para o presidente da Unidas, a atual desvalorização do real, se mantida, deve contribuir para elevar o preço dos carros nos
próximos meses, o que tende a favorecer o mercado de seminovos, que costuma acompanhar a trajetória de preços dos novos. No primeiro semestre, os preços dos seminovos vendidos pela companhia caíram 2,8 por cento sobre um ano antes.

(Por Alberto Alerigi Jr., edição Raquel Stenzel)

Fonte: Último Instante

Translate »