Setor de locação de veículos cresce 12,3% em 2017

As empresas de locação de automóveis cresceram 12,3% em faturamento bruto em 2017 ante 2016, atingindo vendas de R$ 15,5 bilhões, segundo dados divulgados na manhã desta quarta-feira pela Associação Brasileira de Locadoras de Automóveis (Abla).

Na mesma base de comparação, a receita líquida aumentou 11,6%, para R$ 13,5 bilhões.

O número de cliente cresceu 17,2%, atingindo 23,2 milhões de usuários, dos quais 58% no segmento de frota, 23% na área de lazer e 19% entre clientes de negócios. O número de locadoras no país aumentou de 11,2 mil para 11,5 mil, segundo a Abla. De acordo com a associação, elas responderam por 16,5% dos emplacamentos de carros em 2017, ante 11% em 2016.

A pesquisa da Abla apontou um aumento do número de carros na frota total das locadoras, de 632,9 mil para 709,03 mil veículos. A General Motors é a montadora que mais vende carros às locadoras, com 19,6% de participação de mercado, seguida por Fiat (19,2%), Renault (15,9%), Ford (14,8%) e Volkswagen (14,8%).

‘Guerra de preços’

O presidente da associação,Paulo Miguel Junior, disse que o ganho de participação de mercado por parte das grandes empresas líderes – Localiza, Locamerica, Unidas e Movida -, foi feito ao longo dos últimos dois anos devido a uma “guerra de preços”. “O que ocorreu foi uma canibalização”, afirmou em entrevista coletiva na capital paulista.

“As empresas baixaram os preços. Carro que era alugado a R$ 2 mil mudou de contrato porque alguém ofereceu R$ 800, achando que depois poderia aumentar os preços. Só que isso não acontece. O cliente acostumou com o preço baixo. Agora as empresas vão ter que rentabilizar os ativos”, disse. “Preço médio de locação hoje é o mesmo de 1994, em termos absolutos”, afirmou.

O executivo rebateu a tese de que a consolidação entre as atuantes na área afete os indicadores operacionais das empresas. “Não vejo grande movimentação no setor por causa disso”, afirmou. Segundo a Abla, eLocaliza, Locamerica, Unidas e Movida respondem por cerca de 50% dos 709 mil carros das locadoras do país. No fim deste ano, a Locamerica e a Unidas anunciaram fusão. Antes, a Localiza assumiu a operação brasileira da americana Hertz.

Projeção

A Abla projeta que o setor repeta em 2018 o ritmo de crescimento em vendas apurado no ano passado, quando as empresas faturaram 12,3% mais e bateram vendas de R$ 15,5 bilhões. “A gente espera uma retomada da economia”. Temos mais eventos como Copa do mundo e eleições. Então a tendência é de um crescimento”, afirmou Miguel Junior.

O executivo disse que espera que a indústria automobilística acompanhe a demanda este ano, algo que não ocorreu em 2017. “Tivemos casos de espera com mais de 120 dias”, disse o presidente da Abla. Segundo ele, entretanto, se a demanda por carros entre pessoas físicas crescer, as locadoras podem voltar a ter problemas para receber veículos das montadoras. “Se a demanda ficar aquecida no varejo, as montadoras vão dar preferência a esse mercado”, afirmou, citando como motivo as margens, uma vez que as locadoras negociam mais descontos com as fabricantes de carros.

Fonte:  João José Oliveira | Valor

Translate »