Veja como os carros ficaram mais inteligentes

Internet das coisas, conexão máquina a máquina e redes de alta velocidade permitem serviços inovadores e mais segurança

Em três anos, um em cada cinco carros no mundo fará parte da Internet das Coisas (IoT). Ao todo, serão 250 milhões de veículos conectados circulando nas ruas e estradas do planeta, segundo o Gartner.  Só neste ano, 21 milhões sairão das fábricas com a tecnologia. Volume que saltará para 61 milhões em 2020, de acordo com a empresa de pesquisa e consultoria.

carros_conectadosINOVAÇÕES INAUGURAM A CHAMADA ERA DA MOBILIDADE INTELIGENTE (FOTO: ISTOCK)

O que diferencia esses automóveis inteligentes dos convencionais é a capacidade de manter comunicação bidirecional com rede externa sem fio. Essa conexão é usada para transmissão de dados de telemetria captados por sensores instalados no veículo e para monitoramento, controle e gerenciamento remotos dos seus sistemas e funcionalidades. Ela também permite acesso a diversos conteúdos e serviços digitais, muitos mediante comando de voz.

Essas inovações inauguram a chamada era da mobilidade inteligente. Traduz-se por uso convergente de nuvem, sensores, GPS (satélite), comunicação máquina a máquina (M2M) e redes móveis para conectar todo tipo de carro.

“Milhares de dispositivos IoT já são usados na produção de veículos no Brasil”, diz Ney Acyr  Rodrigues, diretor executivo de Negócios para IoT da Embratel.

A Embratel é fornecedora de IoT instalada em 500 mil veículos. A empresa é a líder em SIM cards no segmento de carros conectados do país. A solução combina conexão via chip (SIM card) embutido no carro, armazenamento e tratamento de dados em nuvem, entre outras tecnologias.

Por meio do SIM card, os carros conectados enviam dados para uma central 24 horas da montadora. A transmissão pode ser manual, quando o condutor aciona um botão porque precisa de ajuda médica ou técnica, por exemplo; ou automática, quando sistemas e sensores enviam dados, como notificação de colisão disparada quando há acionamento de airbag.

carros_conectados_2COMO FUNCIONA O CARRO CONECTADO (FOTO: G.LAB)

O motorista acessa funcionalidades do carro digital por meio do smartphone ou de relógio inteligente (smartwatch). Ele pode, à distância, travar e destravar portas e ligar ou desligar o carro e o ar-condicionado. Consegue consultar dados importantes para manutenção do veículo, como calibragem dos pneus e volume de óleo, e acessar conteúdo contextual, como dicas sobre tráfego e restaurantes próximos.

Também é capaz de receber e fazer chamadas com viva voz por meio dos alto-falantes do veículo.

Com rastreamento por satélite, não há chance de o motorista esquecer onde estacionou. Em rotas perigosas, ele pode pedir para a central acompanhar todo o percurso.

Se houver roubo, o veículo é travado remotamente, e, no caso de pane, o sistema provê diagnóstico prévio e a central entra em contato para prestar ajuda. O sistema reconhece em caso de acidente — quando airbag e pré-tensionadores de cintos de segurança são ativados —  e a central pode acionar guincho ou ambulância e falar diretamente com os passageiros.

A IoT é realidade em vários outros segmentos que fazem uso de carros, de frotas a Fórmula 1.

Fonte: Época Negócios | Conteúdo fornecido por G. Lab para Embratel

Translate »