Conheça vantagens de ter carro blindado e proteção extra no trânsito

blindagem-de-carro-nacionais-e-importados_51c66f7_3

 

De Vrum

Pernambuco sobe no ranking e tem a terceira maior frota de veículos blindados do Brasil
 
“Um investimento para a minha família e a minha segurança”, esse é o relato do executivo Ronald Riedel sobre o porquê de ter blindado, há dois anos, os carros da família, uma Mitsubishi TR-4 e um Chevrolet Vectra. Muitos fazem como Ronald para não ser mais um nas estatísticas de violência das grandes cidades. De acordo com dados da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin) calcula-se que, no ano passado, cerca de 10 mil veículos foram blindados no país, quase 15% a mais em relação a 2012.
 
Entre os estados brasileiros que mais fazem o serviço, a Abrablin só confirma o que dizem as pesquisas sobre a violência nacional. Pernambuco é a terceira maior frota de veículos blindados do país com 4% das demandas – só perde para São Paulo (70%) e Rio de Janeiro (12%) – seguido por Amazonas (3%) e Pará (2%) completando o top 5 das blindagens no Brasil.
 
Bem-estar 
A psicóloga do Detran-PE Juliana Guimarães explica que este é o principal motivo das pessoas buscarem a blindagem como proteção. “A violência crescente e a resposta menor de segurança faz com que o motorista proteja principalmente o seu estado emocional que vive em estado de alerta constante”, enfatiza. Riedel, por exemplo, já relaxou numa abordagem por conta do carro protegido. “Estava parado no trânsito e dois homens bateram no vidro. Eu olhei, relaxei e não precisei baixar o vidro”, finaliza o condutor.

Mercado 

No Brasil, existem quatro níveis permitidos para uso público: I, II, II-A e III-A. A nível III é restrita para uso militar. Os preços partem de R$ 24 mil e chegam aos 48mil. Na Afonte Blindados tem cerca de 12 blindagens mensais. “Hoje os recifenses procuram mais a nível I. É mais barato, além de ser menos pesado (de 80 a 100 kg) se comparada a nível III-A, que chega aos 200 kg”, conta o diretor comercial Bruno da Fonte. Com oito anos no ramo, a Bom Jesus Blindagens blinda mais SUVs. “Os carros maiores chamam mais atenção e assim, são os mais encomendados”, fala o gerente comercial Carlos Ramos. O tempo do serviço é de 15 a 45 dias.

Saiba mais…

Níveis de blindagem permitidas para uso público
Tipo I – proteção contra revólver 38, ponto 380 e 22
Tipo II e II-A – proteção contra (além dos revólveres nível 1) Pistola 9 mm e Magnum 357
Tipo III-A – proteção contra (além dos níveis anteriores) Ponto 40 e Magnum 44
Passo-a-passo da blindagem veicular:
1 – O interessado em blindar o veículo procura uma empresa blindadora (autorizada pelo Exército) que se encarregará de solicitar autorização ao Exército (EB).
 
2 – Depois de pegar a autorização, antes da blindagem, o proprietário deve levar o veículo para o Detran para uma vistoria prévia e obtenção de autorização para modificar o veículo. O condutor deve estar munido de RG/CPF ou CNH (cópia e original), do Certificado de Registro do Veículo (CRV, popularmente conhecido como recibo ou DUT) e da autorização do Exército Brasileiro.
 
3 – Efetuar a blindagem e providenciar inspeção veicular para obtenção do Certificado de Segurança Veicular (CSV). O CSV é expedido por instituição técnica de engenharia credenciada pelo Inmetro e homologada junto ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Fica a cargo da empresa blindadora obter junto ao Exército a declaração de conclusão do serviço de blindagem.
 
4 – Efetuar a alteração documental no Detran, necessária sempre que ocorre modificação das características veiculares. Para isso, é necessária nova vistoria junto ao Detran-PE (com o veículo já blindado) e a apresentação de toda documentação referente à blindagem, além de trazer original e cópia do CRV, RG/CPF ou CNH.
 
5 – Os procedimentos são concluídos com a expressão “veículo blindado” no campo de observação do Certificado de Registro de Veículo (CRV) e do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV).
Fonte: Portal do Trânsito

Translate »