Após fatalidade, Uber encerra testes com carros autônomos no Arizona e demite 300

Decisão ocorre dois meses após o acidente fatal envolvendo um carro autônomo, mas testes devem ser retomados em outros estados

A Uber informou, nesta quarta-feira (23), que está encerrando sua operação de veículos autônomos no Arizona e demitindo cerca de 300 funcionários.

A decisão ocorre dois meses após um de seus carros ter atingido e matado uma pedestre, e quase um ano e meio depois que o governador Doug Ducey provocou autoridades na Califórnia por “frear a inovação e a mudança com mais burocracia e mais regulação”.

A maioria dos demitidos são motoristas de segurança, entre os quais Rafaela Vasquez, que estava ao volante em março quando o Volvo 2017 autônomo atingiu Elaine Herzberg, 49, enquanto ela empurrava uma bicicleta pela avenida Tempe.

Um vídeo divulgado pela polícia de Tempe mostrou Vasquez olhando para baixo várias vezes antes de o carro atropelar Herzberg. Tanto os sistemas do carro quanto Vasquez não conseguiram parar o veículo a tempo. A exata causa do acidente está sob investigação pelo Conselho Nacional de Segurança no Transporte (NTSB, na sigla em inglês). Os acompanhantes humanos devem assumir o controle quando os sensores e algoritmos dos carros falham ou em outras circunstâncias que exijam intervenção.

A Uber interrompeu seus testes sem motorista, no Arizona e em outros lugares, após a colisão, e Ducey posteriormente suspendeu a operação com veículos autônomos da empresa no estado, dizendo que a segurança era prioridade.

A porta-voz de Ducey, Elizabeth Berry, se recusou a fornecer detalhes sobre a saída da Uber ou dizer se a abordagem permissiva quanto à regulação para a indústria de carros autônomos foi equivocada. “O foco do governador sempre esteve no que é melhor para os cidadãos do Arizona e para a segurança pública, não para qualquer empresa específica”, disse Berry em um comunicado, acrescentando que a suspensão dos testes sem motorista da Uber “permanece em vigor até o resultado das investigações federais”.

Em um comunicado, a Uber disse estar “comprometida com a tecnologia de direção autônoma” e que espera colocar novamente sua frota sem motorista na estrada “em um futuro próximo”.

“Enquanto isso, continuamos focados em nossa revisão completa de segurança, depois de termos convencido o ex-presidente do NTSB, Christopher Hart, a nos aconselhar sobre nossa cultura de segurança”, disse a empresa.

A Uber trabalha com autoridades locais e estaduais no estado da Pensilvânia, na esperança de reiniciar os testes em Pittsburgh ainda neste verão.

A empresa concentrará seus testes do mundo real em lugares onde a Uber tenha engenheiros à disposição para fazer melhorias, em vez do trabalho à distância, como era no caso do Arizona. Os funcionários do Arizona eram, em sua maioria, motoristas de reserva, com alguns secretários e outras equipes de operações, mas não engenheiros. O principal grupo de pesquisas em direção autônoma da Uber fica em Pittsburgh.

A empresa também está conversando com funcionários da Califórnia, bem como as cidades de São Francisco e Sacramento, sobre futuros testes de carros sem motorista.

A Uber oferecerá treinamento profissional e outros serviços nas próximas semanas para os funcionários do Arizona que estão sendo demitidos. As operações de corridas (com motoristas humanos) e entrega de comida (UberEATS) continuarão funcionando no estado.

Fonte: Gazeta do Povo
Translate »