Stellantis prioriza os carros elétricos em meio à crise dos chips

Foto: Divulgação/Stellantis

A escassez de semicondutores tem prejudicado a indústria automotiva de várias formas, forçando muitas montadoras a priorizar a produção de modelos mais caros em vez de veículos mais acessíveis para manter as margens de lucro mais altas.

Stellantis, conglomerado multinacional que reúne um total de 14 marcas americanas, italianas e francesas sob o mesmo teto, não é exceção. Como há um número limitado de semicondutores disponíveis no momento, o grupo decidiu priorizar a fabricação de veículos elétricos na Europa em relação aos modelos de motores a combustão.

A principal razão por trás da decisão é o fato de que os clientes europeus parecem responder às medidas que os governos locais estão tomando para promover as compras de VEs, como subsídios significativos. No entanto, não se deve ignorar o fato de que os elétricos tendem a ser mais caros do que seus equivalentes a combustão, o que significa que a Stellantis pode lucrar mais com isso.

Eis o que a chefe de mobilidade eletrônica da empresa, Anne-Lise Richard, disse ao Automotive News sobre o tema em uma entrevista em Milão.

“Continuaremos a gerenciar todos os trens de força juntos, mas os elétricos vêm em primeiro lugar. Vemos mais clientes que estão dispostos a comprar veículos elétricos agora.”

Opel Corsa-e - movimento 3/4
Citroën C4 2021 em Madrid

Foto: Divulgação/Stellantis

A demanda por carros elétricos acelerou em toda a Europa, uma vez que generosos incentivos governamentais tornaram os carros movidos a bateria atraentes em relação aos veículos tradicionais. Os programas variam de país para país, com compradores na Alemanha entre os mais favorecidos, pois podem cortar generosos 9.000 euros (R$ 57.000) do preço de tabela de um carro totalmente elétrico.

Formada a partir da fusão do PSA Group e da Fiat Chrysler em janeiro deste ano, a Stellantis está apostando forte nos carros elétricos, tendo prometido gastar a fortuna de 30 bilhões de euros em veículos zero emissões e software.

Como parte dessa estratégia, todas as marcas Stellantis lançarão veículos totalmente elétricos, incluindo Peugeot, Citroën, Jeep, Chrysler, Dodge e Ram, enquanto Alfa Romeo, Fiat, Opel/Vauxhall, Lancia e DS Automobiles migrarão para carros exclusivamente com bateria.

No momento, a Stellantis não oferece nenhum modelo totalmente elétrico nos Estados Unidos, mas já tem vende duas opções no Brasil (Fiat 500 elétrico e Peugeot 208 e-GT) e nada menos que 14 veículos elétricos na Europa – embora nenhum deles use uma plataforma dedicada.

Durante o primeiro semestre de 2021, os modelos eletrificados representaram 14% das entregas da Stellantis na Europa e apenas 4% nos EUA. Até 2030, a montadora espera que a participação suba para 70% e 40%, respectivamente.

Translate »
WhatsApp chat