BTG Pactual se diz otimista com empresas de aluguel de carros e recomenda compra

O banco acredita em uma rápida saída da crise por parte de companhias do setor e recomenda compra para Localiza, Movida e Unidas

O BTG Pactual disse, em relatório, ser otimista com as empresas brasileiras de aluguel de carros, com base em sua plataforma de negócios diversificada, como aluguel, gestão de frotas e vendas de seminovos, que garante a lucratividade. O banco acredita em uma rápida saída da crise pelas empresas do setor e recomenda compra para Localiza, Movida e Unidas.

Para o BTG, o ciclo de crescimento das empresas de aluguel de carros no Brasil nos últimos anos não deixa de surpreender. A taxa de crescimento anual composta do segmento aluguel de carros nos últimos quatro anos foi de 23% para as três maiores empresas do mercado.

“No futuro, vemos todos os elementos para continuar gerando altas taxas de crescimento do setor: melhor acessibilidade de preços, mudança de mentalidade cultural em relação à utilização do veículo (em vez da propriedade), menor custo de capital e a consolidação contínua do mercado, impulsionada por ganhos de escala natural”, diz o relatório, assinado por Lucas Marquiori.

Segundo o relatório, o impacto nos negócios de aluguel de carros vai forçar, naturalmente, uma reforma nas empresas do setor, com a entrada de “novos” interessados, como fabricantes, instituições financeiras e concessionárias, e todos os grandes da cadeia automotiva, querendo se juntar a uma indústria de alto crescimento e alta rentabilidade.

O banco diz que a mudança ainda é incipiente e que será um processo gradual, mas as atuais empresas do setor vão se beneficiar por já estarem no mercado. “Elas vão se beneficiar o mercado construído nos últimos anos, especialmente no aluguel de carros, onde a escala é um fator importante de valor”, diz.

Sobre gestão de frotas, embora esse segmento ofereça mais espaço para novos entrantes, ele já um mercado disputado, então os novos interessados terão de lutar para criar plataformas economicamente viáveis.

Por fim, o BTG diz que vê instituições financeiras muito mais propensas a fazer investimentos no setor com base na natureza intrínseca do financiamento do produto e no grande capital necessário para sustentar a operação.

“Grandes empresas de aluguel de frotas, como ALD, Arval e LeasePlan, são controladas ou fundadas por instituições financeiras. No Brasil, as instituições financeiras estão limitadas às atividades de financiamento, mas não descartamos a possibilidade de esse papel mudar no futuro”, completou.

FONTE: VALOR INVESTE

Translate »
WhatsApp chat