Movida é favorita no setor de aluguel de veículos, afirma Safra

A Movida (MOVI3) divulgou na sexta-feira (26) os detalhes finais que devem levar à constituição e incorporação da CS Brasil, empresa de gestão de frotas com foco em contratos públicos que vai agregar 14% de veículos à frota total da Movida, um aumento de 32% para sua plataforma.

 

Na avaliação do Safra, a empresa, com a aquisição, está reforçando sua posição como um dos principais players no negócio de gestão de frotas no Brasil.

“A nosso ver o mais promissor para o crescimento no curto prazo (somando-se à sua maior resiliência demonstrada durante a pandemia), principalmente considerando a ainda reduzida penetração de mercado (10,5% do total da frota corporativa no país)”, afirmam os analistas.

Nesse sentido, o Safra reforça a indicação de compra para Movida (MOVI3), considerada a favorita no setor, com preço-alvo a R$ 22,50 – a empresa está atualmente negociando a 11,5 vezes o Ebitda 2022, contra 17,7 vezes da Localiza e 11,2 vezes da Unidas.

Combinação de CS Frotas e MOVI3

Totalmente controlada pela Simpar, que também é acionista controladora da Movida (MOVI3), a CS Brasil atua no segmento de gestão de frotas desde 2018 e concentra esforços em grandes contratos com entidades públicas (sociedades de economia mista). Atualmente a CS Frotas opera uma frota operacional de 17 mil veículos e entregou um ROIC (retorno sobre o capital investido) de 12% no primeiro trimestre deste ano (contra 123 mil veículos da Movida e ROIC de 9%).

De acordo com o relatório do Safra publicado na semana passada, o negócio resultará, com base nos números dos três primeiros meses deste ano, em uma companhia que deve atingir faturamento de R$ 909 milhões, Ebitda de R$ 367 milhões e lucro líquido de R$ 132 milhões. As frotas das empresas somadas totalizam 151 mil veículos, sendo 70 mil na divisão de frotas, tornando-se a segunda maior operação de gestão de frotas do Brasil.

“Com a combinação, a Movida (MOVI3) terá acesso a um enorme mercado pouco penetrado e fragmentado na gestão de frotas públicas, com um mercado potencial de 600 mil veículos, aumentando o potencial de crescimento em negócios de gestão de frotas nos próximos anos”, diz o documento assinado por Luiz Peçanha.

Assembleia geral extraordinária

A Movida (MOVI3) convocou uma assembleia geral extraordinária (AGE) que ocorrerá no dia 26 de julho, a fim de obter a aprovação de seus acionistas para a transação, informa o relatório da Safra Corretora. Conforme a administração da empresa, a Simpar seguirá o voto dos acionistas minoritários na reunião para aprovar o negócio, a fim de superar o conflito de interesses existente devido à participação da Simpar nas duas empresas.

O documento elaborado pelos analistas destaca também que uma empresa independente (Itaú BBA) também foi contratada pelos conselheiros independentes para opinar sobre a avaliação de ambas as empresas.

Se aprovada, as duas últimas etapas da operação serão o cumprimento das condições precedentes e do direito de retirada.

Caso seja concluído, pontuam os especialistas, o negócio pode desbloquear valor para a nova empresa, que seria capaz de utilizar sinergias da plataforma de carros usados da Movida, obtendo menores custos e maior preço pela venda via B2C (estimada em ganhos anuais de R$ 20 milhões); reduzir o custo de implantação e manutenção (ganho anual estimado de pelo menos R$ 10 milhões ao ano); melhorar a eficiência na alocação da frota, com uma base de ativos centralizada, aumentando o ROIC das empresas; e aumentar a eficiência corporativa reduzindo despesas administrativas redundantes.

Os analistas destacam ainda a possibilidade de melhorar o risco de crédito das empresas, com menor alavancagem e maior resiliência da Movida e aumento das fontes de capital para a CS Brasil, principalmente no mercado de capitais. Ao todo, segundo a Safra Corretora, as sinergias somariam R$ 40 milhões ao ano, 5% sobre o Ebit estimado pelos analistas, de aproximadamente R$ 803 milhões para 2022.

O relatório do Safra destaca ainda que, pelo acordo das empresas, os acionistas da Simpar receberão 63,3 milhões de ações a serem emitidas pela Movida. Após a incorporação, a participação da Simpar na Movida deve chegar a 63%, ante 55% atualmente.

Por que investir em MOVI3

Entre os motivos para investir em MOVI3, a Safra Corretora destaca o histórico de rápido crescimento; a capacidade de negociar descontos atraentes com as montadoras em virtude da escala na compra de veículos e da presença nacional; e a divisão de aluguel de veículos da Movida, que está focada no perfil de clientes premium, nos segmentos corporativo e de lazer, permitindo tarifas mais altas.

Além disso, os analistas acreditam que o atual desconto do índice preço lucro (P/L) da Movida para a Localiza é um pouco exagerado. Em relação aos riscos de MOVI3, os especialistas citam o aumento da concorrência; a desaceleração do crescimento do mercado de veículos usados; e uma possível mudança na regulamentação tributária do ICMS – a aprovação de uma nova regra determinando um aumento no período mínimo de propriedade de veículos para empresas de aluguel de carros, a fim de evitar a cobrança de impostos sobre as vendas, pode comprometer os negócios de aluguel de veículos. Por fim, destacam a persistência de um ambiente macroeconômico em desaceleração, afetando todo o segmento em termos de demandas e preços.

Fonte: valor.globo.com

Translate »
WhatsApp chat