Tecnologia cria opções para renovação de frotas

As locadoras que querem se manter competitivas dedicam atenção especial à renovação de suas frotas. Em 2017, por exemplo, a idade média da frota das locadoras era de 18 meses e, em 2018, caiu para 17 meses, conforme o mais recente Anuário Brasileiro do Setor de Locação de Veículos.

O problema é que a renovação constante envolve um dos maiores desafios a serem enfrentados pelas empresas do setor: a correta desmobilização da frota de seminovos.

Assim, é normal ter dúvidas em relação às melhores modalidades de vendas dos veículos usados, ainda mais com as transformações tecnológicas constantes do mundo atual. O “leque” é cada vez maior e muitas vezes a escolha mais apropriada ontem pode não mais ser a melhor hoje.

Antes da Internet, era mais comum a existência de um intermediário entre as locadoras e o comprador. Através de um corretor, as empresas poderiam se assegurar de que estavam realizando uma transação confiável, apesar das taxas cobradas por tais “intermediadores”.

Com a criação da internet, popularizaram-se os serviços de leilão e venda direta online, que permitiram transações mais seguras com compradores de qualquer lugar do Brasil. Hoje em dia, essas opções são as modalidades de venda mais conhecidas e populares entre as locadoras.

A tecnologia digital permite que surjam modalidades de vendas antes restritas às grandes locadoras. Um exemplo é a criação de uma loja própria para a revenda de veículos seminovos. Até pouco tempo, esta opção era considerada inviável para pequenas e médias empresas. Os preços de uma loja física, dos funcionários e as despesas com manutenção tornavam impossível esta ideia.

Agora, a necessidade de se abrir uma loja física pode ser eliminada.

“Em outras palavras, as locadoras podem agora eliminar o máximo possível de intermediários, por meio da criação de lojas digitais próprias”, esclarece Rodrigo Santoro, head de tecnologia da SBWS, empresa do grupo Superbid dedicada a essa especialidade.

E esta transformação está sendo alavancada pelas próprias empresas que tornaram o leilão online uma das plataformas mais populares para a desmobilização de frota.

O leilão online é popular por ser mais indicado para bens de baixo valor e alta liquidez e em momentos em que o vendedor tem pressa para reaver seu investimento. Também é a modalidade de venda mais recomendada para grandes volumes de automóveis.

Por outro lado, a venda direta para o comprador também se popularizou com a criação dos classificados online. É um meio indicado para veículos de alto valor e baixa liquidez, apesar de não ser recomendado para as empresas que precisam desmobilizar sua frota com agilidade.

Já as lojas virtuais próprias (Veja Box) permitem às locadoras combinar as modalidades de vendas disponíveis, como o leilão e a venda direta, de acordo com sua necessidade. As empresas podem, assim, decidir qual a melhor maneira de desmobilizar sua frota de acordo com cada momento, sem contratar um intermediário e sem fazer propaganda de lojas de terceiros. Tudo isso em um ambiente seguro e confiável.

As inovações desenvolvidas pela SBWS apontam para a oferta de serviços complementares ao leilão online, como uma fintech (serviço financeiro baseado em tecnologia) que permitirá ao lojista ter conta virtual, bem como o comprador, diminuindo a dependência de instituições bancárias nas transações.

Translate »
WhatsApp chat