Indústria automotiva busca apoio do governo para linhas de crédito

Com 1.800 veículos produzidos em abril e queda de 76% nas vendas, a indústria automotiva quer apoio do governo para linhas com juros menores para atravessar a crise. Entretanto, o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Carlos Moraes, descarta subsídios ao setor.

O que estamos tentando convencer com o governo como é que nós podemos criar um mecanismo em que a liquidez do sistema venha para ajudar no capital de giro das organizações com um custo aceitável. Por isso estamos olhando créditos tributários que montam R$ 25 bilhões, a gente tá tentando propor um mecanismo que isso seja oferecido como garantia através no BNDES e tenhamos acesso a linhas com custos aceitáveis.”

No acumulado de 2020, até abril, a produção caiu 40%; 587 mil contra 965 mil veículos produzidos no mesmo período de 2019.

Luiz Carlos Moraes ressalta que a saída financeira não seria apenas às montadoras, mas para toda a cadeia automotiva. Ainda há 55 fábricas paralisadas e 95 mil funcionários fora das linhas de montagem, que voltarão com protocolos de segurança, mas sobretudo com o retorno das vendas.

São Paulo representa mais de 27% do mercado nacional. Porém, com o fechamento das concessionárias pela quarentena e as medidas de isolamento adotadas pela Covid-19, o Estado registrou queda de 99% em abril.

Translate »
WhatsApp chat