Boas perspectivas para Movida (MOVI3), avalia BTG (BPAC11)

O banco BTG (BPAC11) vê boas perspectivas para Movida (MOVI3). Para o segundo semestre, são esperados melhores volumes e tarifas mais altas à medida que a oferta de veículos melhore gradativamente.

 

Diante dessas boas perspectivas, o banco de investimentos recomenda compra, com preço-alvo de R$ 28.

Além das boas perspectivas, o banco também relatou que a demanda continua forte. Impulsionada principalmente pelo retorno de clientes corporativos, aeroportuários e contratos mensais. As margens de seminovos devem reduzir lentamente à medida que o mercado de carros usados se normaliza gradualmente. E expansão da frota deve acelerar durante o segundo semestre.

“No geral a reunião foi positiva. Esclarecendo alguns tópicos de discussão comuns no setor de aluguel de carros hoje. Tais como a demanda de curto prazo e as tendências de oferta de veículos. No futuro, vemos atualizações sobre oferta de veículos, tarifa do RAC. E alavancagem financeira como os principais catalisadores da companhia”, relatou o banco.

Movida (MOVI3): melhoria na taxa de ocupação

O segundo trimestre é sazonalmente mais fraco. Portanto, a tarifa deve ser menor. No entanto, a empresa notou uma melhora na taxa de ocupação. O que deve levar a volumes ligeiramente melhores durante o segundo trimestre.

Para o segundo semestre, são esperados melhores volumes. E tarifas mais altas dependendo que a oferta de veículos melhore gradativamente. O que permite que a Movida mantenha o processo de renovação de frota em andamento. E repasse o aumento dos preços dos carros para as tarifas de aluguel.

Sobre a renovação da frota, o banco informou que os carros estão sendo entregues dentro do cronograma. E a Movida espera acelerar a expansão no segundo semestre. E isso de acordo com a melhora de oferta de veículos. Em termos de mix, a empresa espera uma proporção maior de veículos de entrada ao longo do ano. À medida que a oferta de veículos começa a se normalizar gradualmente.

Por fim, espera-se que as margens dos seminovos se reduzam lentamente para níveis normalizados de um dígito. À medida que o mercado de carros usados se estabiliza e o mix de canais de vendas volte ao normal.

Alavancagem pode desacelerar expansão

Em termos de alavancagem, o BTG relatou que, se necessário, a Movida poderia desacelerar a expansão da frota para reduzir os níveis de alavancagem. No entanto, caso mantenha o ritmo de renovação da frota, a alavancagem deve permanecer próxima aos níveis do 1TRI22 (de 2,9x dívida líquida/EBITDA).

“Olhando para o futuro, acreditamos que os investidores irão monitorar o aumento das tarifas, a evolução da alavancagem financeira e a normalização da oferta de veículos. Em suma, vemos a MOVI3 sendo negociado a um atraente 5,2x P/L em 2022, justificando nossa classificação de compra”, conclui o BTG.

Fonte: euqueroinvestir.com

Boas perspectivas para Movida

Translate »
WhatsApp chat