Zarlenga estima vendas de 450 mil veículos na Argentina

São Paulo – As vendas de veículos na Argentina ficarão na casa das 450 mil unidades, projetou o presidente da General Motors América do Sul, Carlos Zarlenga, em entrevista ao jornal Clarín. Trata-se de uma queda significativa com relação aos cerca de 800 mil veículos comercializados em 2018 e da primeira vez, desde 2006, que aquele mercado registraria vendas abaixo das 500 mil unidades.

“Estamos falando em um mercado com vendas de 450 mil unidades ou menos”, disse o executivo ao Clarín. “Esperamos que durante o segundo semestre esse número possa melhorar, mas, neste momento, precisamos pensar em volume desse tipo”.

Zarlenga citou fatores como desvalorização do peso, inflação alta e taxas de juros elevadas para justificar a sua estimativa pessimista.

Até abril, de acordo com a Acara, associação que representa os concessionários, os argentinos compraram 176,6 mil veículos, recuo de 50% com relação às 353,2 mil unidades do mesmo período do ano passado. A Adefa, que representa as montadoras, ainda não divulgou sua projeção de vendas para 2019.

O presidente da GM América do Sul também falou sobre o mercado brasileiro, cuja alta de 10% nos primeiros meses do ano, puxada pelas vendas diretas, não beneficia as exportações daquele país: “São vendas para locadoras deautomóveis e frotas corporativas, segmentos mais alinhados com os carros de entrada e não tanto com o tipo de produto que exportamos daqui”.

O executivo disse esperar boas notícias do mercado brasileiro a partir do segundo semestre, quando espera que as reformas sejam aprovadas pelo Congresso e isto melhore a confiança dos empresários e dos consumidores brasileiros.

Fonte: AutoData

Translate »
WhatsApp chat