Abla participa do Conselho Nacional de Turismo

Conselho Nacional de Turismo apoia isenção de visto para norte-americanos

Uma carta assinada por 31 entidades do turismo, em apoio à isenção de visto proposto pelo governo brasileiro aos norte-americanos, foi divulgada nesta segunda-feira (21).

No documento, as entidades afirmam que no último ano, o déficit da balança comercial do turismo foi de US$ 12 bilhões – os brasileiros gastaram US$ 18 bi no exterior enquanto os estrangeiros deixaram apenas US$ 6 bi no Brasil, o que justificaria esta isenção do visto.

Confira abaixo a carta assinada por Abav, Abbtur, Abear, Abeoc, Abeta, ABIH, Abitur, Abla, ABR, Abracamping, Abrajet, Abrarj, Abrasel, Abrastur, Bito, Brasil CVB, Braztoa, Clia Brasil, CNC, CNM, CNTur, Contratuh, FBHA, Fenactur, Fenagtur, Fohb, Guilherme Paulus, Mario Beni, Sindepat, Ubrafe e Unidestinos.

“O Brasil ainda é, de acordo com o Fórum Econômico Mundial, um país fechado: num ranking de 136 nações, ocupa a 96ª posição no item abertura internacional.

Apesar da surpreendente trajetória de crescimento do turismo mundial nos últimos anos, em 2018 somente 0,5% dos 1,3 bilhão de viajantes do mundo escolheram o Brasil como destino. No último ano, o déficit da balança comercial do turismo foi de US$ 12 bilhões – os brasileiros gastaram US$ 18 bi no exterior enquanto os estrangeiros deixaram apenas US$ 6 bi no Brasil. Diante desse quadro, a inclusão pelos Ministérios das Relações Exteriores e do Turismo da isenção de vistos para países estratégicos, como os Estados Unidos, entre as medidas prioritárias do novo governo, foi recebida com muito entusiasmo pelo trade turístico. Mercados concorrentes sabem que os Estados Unidos é um dos maiores emissores do mundo e por isso, adotam uma política diferenciada na concessão de vistos.

Durante anos vivemos atrelados a uma política que parecia não compreender que cada dólar gasto no Brasil gera emprego, distribuição de renda e justiça social. Apenas a implantação do visto-eletrônico, no último ano, gerou um salto de 40% no pedido de vistos para o Brasil. A decisão corajosa do nosso Ministro de Relação Exteriores, Ernesto Araújo, de incluir na pauta da visita presidencial aos Estados Unidos e a liberação do visto para os turistas norte-americanos, recupera anos de atraso e demonstra de forma efetiva que o Brasil passou a tratar a atividade do turismo de forma prioritária.

O Ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio tem sido o porta-voz dos pleitos históricos do nosso setor e soube, até como membro da Frente Parlamentar de Turismo, que medidas como esta precisam entrar na agenda do turismo. Na  Câmara foi um defensor da pauta do turismo e, agora no Governo, tem se empenhado para corrigir este erro histórico.

Finalmente o Conselho Nacional de Turismo registra, com grande satisfação, as demonstrações de valorização do Turismo pelo Excelentíssimo Senhor Presidente da República Jair Bolsonaro. A própria manutenção da pasta é uma demonstração desta decisão política e agora a notícia da liberação de visto para os Estados Unidos, que deveria ser estendida a canadenses, australianos e japoneses (já beneficiados pelo visto eletrônico) como defende o Ministério do Turismo, criará condições para que o nosso setor gere emprego e seja um dos vetores de desenvolvimento.

Esta medida corajosa conta com o nosso total apoio.

Abav, Abbtur, Abear, Abeoc, Abeta, ABIH, Abitur, Abla, ABR, Abracamping, Abrajet, Abrarj, Abrasel, Abrastur, Bito, Brasil CVB, Braztoa, Clia Brasil, CNC, CNM, CNTur, Contratuh, FBHA, Fenactur, Fenagtur, Fohb, Guilherme Paulus, Mario Beni, Sindepat, Ubrafe e Unidestinos.”

Translate »
WhatsApp chat