As apostas da XP

A XP Investimentos analisa as perspectivas de resultados de balanços do quarto trimestre de 2019 em texto enviado a seus clientes. Para o setor financeiro, os economistas da corretora preveem um bom trimestre para bancos, com crescimento da margem financeira puxado pelo maior volume de crédito e pelo mix da carteira voltado a pessoas físicas, pequenas e médias empresas.

Argumentam que o Banco Central mostrou que o crescimento do crédito permanece saudável, enquanto a inadimplência não apenas se manteve controlada, como caiu, enquanto o spread (margem dos bancos) se manteve estável. Esse cenário nos leva a crer que bancos com uma forte base no varejo devem se beneficiar, com destaques para Banco do Brasil, Bradesco, Santander e Itaú. Mas a XP não espera um trimestre favorável para Banrisul e BMG. A lembrar que este será o primeiro trimestre de resultados após a aprovação da reforma da Previdência, o que justifica o aumento da carteira.

Em relação ao setor de varejo, a XP espera por uma tendência semelhante àquela observada no restante do ano. Ou seja, ainda não vê sinais de uma melhora significativa no ambiente de consumo. Assim como no trimestre anterior, as empresas de comércio eletrônico continuam sendo o destaque positivo no quarto trimestre, com crescimento robusto tanto para B2W e Magazine Luiza quanto para Via Varejo, que deve mostrar uma melhora significativa na tendência de vendas. Na percepção da XP, a C&A Brasil e o grupo Pão de Açúcar poderão ser os destaques negativos, mostrando tendências de vendas relativamente fracas e pressão na rentabilidade.

Em bebidas, esperamos um sólido resultado para Ambev, mas com crescimento do volume de cerveja no Brasil ainda modesto, após queda de 2,8% ano contra ano no terceiro trimestre do ano passado. Em alimentos, espera que o setor de proteínas seja novamente um dos destaques positivos no trimestre, com resultados fortes em meio à dinâmica favorável do setor, combinada ao período sazonalmente mais forte de festas de fim de ano e crescimento de preço e volumes de exportação, principalmente para Marfrig e JBS.

Dentro do universo de Transportes, tanto as companhias aéreas como as locadoras de veículos deverão reportar resultados bons, com destaque para as últimas. Apesar de um câmbio ainda relativamente desvalorizado, as companhias aéreas deverão reportar margens operacionais robustas, sustentadas principalmente por tendências positivas na linha de receitas.

Em relação aos shoppings, os analistas da XP esperam um trimestre saudável. A expectativa é de aceleração no indicador vendas sobre as mesmas lojas em relação ao terceiro trimestre, impulsionadas por eventos como Black Friday e Natal. Indicadores operacionais como ocupação e inadimplência melhoram.

Em construção civil, no lado operacional das companhias, a XP acredita na continuidade da recuperação do volume de vendas e lançamentos refletindo a demanda mais aquecida do mercado imobiliário, principalmente para os empreendimentos localizados na região metropolitana de São Paulo.

Dentro do setor elétrico, a XP espera que os resultados das geradoras de energia sejam impactados positivamente por uma combinação de melhor alocação sazonal de sua capacidade de geração e compra de energia de terceiros, com preços maiores do que o esperado de energia no curto prazo (normalmente denominados preços spot). Também espera um trimestre positivo para as distribuidoras de energia, com aumento da demanda de energia, com o reaquecimento da economia.

Fonte: NSC Total

Translate »
WhatsApp chat