Entenda tudo sobre a locação de máquinas pesadas

rabalhar no campo da indústria demanda um bom conhecimento sobre máquinas que otimizam as atividades ocupacionais. Muitos profissionais que atuam no setor de compras e suprimentos precisam, então, encontrar os equipamentos certos, que alinham qualidade, suporte técnico e agilidade para manter as atividades dentro dos prazos e estruturar os projetos de maneira eficaz. O que alguns não sabem é que isso pode ser feito por meio da locação de máquinas pesadas.

Afinal, adquirir uma rede de maquinários gera gastos que, às vezes, não podem ser feitos pela empresa. Consequentemente, algo que era para ser positivo e produtivo para a organização se torna um custo a mais que poderia ser evitado por meio do aluguel de máquinas.

Para aprofundar seus conhecimentos no assunto e garantir uma locação eficiente e inteligente, preparamos este conteúdo com todas as informações sobre o processo de alugar máquinas pesadas no setor industrial. Acompanhe para saber mais!

Funcionamento do aluguel de máquinas pesadas

Não é nenhum mistério que as empresas desejam que os gerentes de compras e suprimentos realizem aquisições que prezem ao máximo pelo custo-benefício. Isso não quer dizer, por exemplo, adquirir somente produtos ou serviços que têm um preço competitivo e relativamente baixo para o mercado, muito pelo contrário.

Investir no custo-benefício diz respeito ao processo de estudar a fundo as vantagens e desvantagens da compra para tomar uma decisão eficiente, levando em conta o valor do produto, a durabilidade, a eficácia no desempenho da sua tarefa e a manutenção. Dessa maneira, profissionais que atuam no setor industrial, como o agronegócio, precisam considerar todos esses fatores na hora de introduzir um novo equipamento na empresa.

É aqui que entra a locação de máquinas pesadas. Afinal, investir na compra desses produtos pode ser desgastante para você e sua instituição, além de elevar os gastos da empresa e diminuir seu lucro a médio e longo prazo, em função de atividades de manutenção e reparação de danos aos equipamentos.

Portanto, alugar máquinas pesadas é uma ação estratégica e inteligente, que potencializa a produtividade do seu trabalho e garante mais segurança à empresa. Tal garantia é tanto de caráter físico quanto em termos financeiros e temporais. Isto é, auxilia os colaboradores a realizarem suas atividades dentro do prazo, já que as máquinas estarão totalmente disponíveis a partir do início do contrato.

Para realizar uma boa locação, é fundamental prestar atenção em detalhes importantes que garantem a eficácia da sua ação, como:

  • identificar quanto tempo será necessário para fazer as atividades;
  • avaliar a capacidade do equipamento, a fim de garantir que ele é o mais indicado para o trabalho;
  • verificar o conhecimento técnico sobre a operação e, se necessário, contratar um profissional especializado para realizar o serviço durante um tempo determinado.

Relação custo-benefício da locação de máquinas pesadas no agronegócio

No último tópico, compartilhamos várias informações sobre o custo-benefício do aluguel de equipamentos pesados, mas como essa relação aparece no agronegócio? O primeiro passo para garantir uma máquina de qualidade por um preço justo é escolher a certa para a realização da sua tarefa.

Por exemplo, se você procura um equipamento para escavação, deve evitar pesquisar e alugar uma máquina misturadora, como modelos para argamassa e pinturas, certo? Aqui, investigar modelos de escavadeiras, retroescavadeiras, caminhões e caçambas é o primeiro passo para fazer uma ação estratégica no seu trabalho.

Com isso em mente, é fundamental levar em conta o tipo de trabalho e o porte do equipamento, analisando se a região é capaz de suportar o peso da máquina e se terá território suficiente para fazer manobras e trabalhar com mais eficácia. Tudo isso envolve diretamente o custo-benefício do produto, já que impacta a produtividade dos colaboradores e a agilidade em cumprir com os prazos.

É claro que esses ajustes podem ser feitos diretamente com uma empresa de locação profissional e com experiência em equipamentos, já que ela tem domínio sobre o funcionamento dos seus equipamentos e consegue indicar aquele que suprirá suas demandas de forma eficaz. Com isso, você conquista diversos benefícios, como:

  • pagamento feito em mensalidades, investindo somente no tempo necessário para a realização da tarefa;
  • economia financeira para a empresa, auxiliando-a a reorganizar seus recursos a fim de potencializar outras áreas ocupacionais;
  • desaparecimento das preocupações com manutenção, pois essa responsabilidade é da empresa que fornece a máquina;
  • menos preocupação com processo de compra e mais agilidade na operação, fortalecendo o cumprimento dos prazos;
  • estabelecimento de uma relação confiável entre empresa e fornecedor, garantindo vantagens financeiras em um acordo a longo prazo;
  • redução do custo de investimento, auxiliando empresas que ainda estão em desenvolvimento;
  • redução da burocracia do processo de locação, em comparação com a compra de novos equipamentos;
  • mais segurança para os colaboradores e qualidade na execução das atividades.

Cálculo de ROI para a locação de máquinas pesadas

Um investimento deve ser visto por meio de duas análises: a de ganho, que considera, avalia e aceita o seu retorno, e de perdas, que o vê como perda do lucro e da capacidade financeira da empresa. Essas avaliações não são fixas, muito pelo contrário, relacionam-se entre si e permitem a análise profunda do custo-benefício de um novo contrato.

O fato é que muitos líderes e gestores tendem a olhar mais para o lado de perdas no processo de compra e locação, considerando apenas a perda do dinheiro e um investimento que pode prejudicar a organização. A melhor forma de transformar esse pensamento é por meio do cálculo de ROI.

Chamado de Retorno do Investimento, esse cálculo permite uma análise profunda sobre o valor investido no contrato e seu retorno para a organização, sobretudo financeiro. Assim, ele oferece um parâmetro importante para a empresa manter a sua saúde orçamentária sem deixar de lado o aproveitamento máximo do seu potencial de crescimento.

A seguir, explicamos como o cálculo de ROI é realizado, para você aplicá-lo no seu trabalho e tomar uma decisão mais consciente e positiva. Confira!

Entenda como o cálculo é feito

Para compreender o cálculo do ROI, precisamos ter em mente que ele não considera apenas os custos diretos com a locação e, por isso, é dividido em duas partes: a conta básica, subtraindo os gastos do investimento com o ganho obtido por ele, e a conta complexa, que avalia:

  • treinamento: despesa que pode ser adicionada dependendo da tecnologia e da complexidade para a operação da máquina;
  • mão de obra: para casos em que é necessário contratar outro profissional para operar o equipamento;
  • ociosidade: o intervalo entre o fechamento do contrato e o primeiro dia de trabalho com a máquina;
  • frete: se existe ou não custos com a entrega do equipamento alugado;
  • juros: para casos de locação parcelada;
  • inadimplência;
  • taxa de depreciação da máquina.

Assim, para realizar o cálculo do ROI, você precisa acrescentar os valores referentes à conta complexa no campo de gastos. Pensando em um exemplo prático, imagine que o equipamento alugado tem uma mensalidade de R$ 100,00 e não é necessária mão de obra, mas a equipe precisa de um treinamento para operá-lo, que tem o valor de R$ 50,00.

Para realizar a atividade, você precisará utilizar a máquina por quatro dias e optou por fazer o pagamento à vista. O total de gastos será de R$ 450,00, certo? No entanto, a empresa avaliou o processo de trabalho e sabe que conseguirá receber o mesmo valor em uma semana, a partir da finalização do serviço.

Dessa maneira, a empresa percebe que o investimento na locação de máquinas retorna com facilidade, uma vez que o ganho recebido pela ação é rápido e fácil. Muitas vezes, o ROI acontece antes mesmo da finalização do trabalho, fazendo com que o aluguel seja muito mais eficaz do que a compra do equipamento.

Custo de uma máquina por PCP

Com o processo de análise financeira em mente, precisamos realizar um passo a mais e compreender como funciona o custo da máquina por meio do Planejamento e Controle de Produção (PCP). Esse processo é responsável por auxiliar o gerenciamento da produção do seu negócio.

É por meio do PCP que os líderes e gestores conseguem identificar os momentos certos de produção, determinando a quantidade e a localização das atividades. Além disso, ele permite a verificação do funcionamento das atividades e do cumprimento dos prazos estabelecidos no planejamento. Com isso, a empresa consegue se manter produtiva e competitiva, sem perder de vista a qualidade no serviço e o desempenho.

Acontece que o PCP tem uma relação direta com o custo das máquinas, uma vez que elas impactam a produtividade dos colaboradores e têm a capacidade de influenciar o cumprimento ou não dos prazos. Por isso, é fundamental compreender como ocorre a determinação do custo da máquina por meio desse planejamento.

Para auxiliar o seu entendimento, separamos nos próximos tópicos todas as informações necessárias para você identificar como esse cálculo ocorre e sua importância no processo de locação de máquinas pesadas. Confira!

Calcule a depreciação das máquinas

A depreciação nada mais é do que o custo com a perda de valor de mercado que a máquina apresenta, seja pelo tempo de utilização, seja pelo desgaste natural ou mesmo por se tornar obsoleta. Para calculá-lo, o gestor precisa considerar o investimento para a aquisição e a sua taxa de depreciação.

É importante ter em mente que cada máquina apresenta uma taxa diferenciada que pode ser consultada, pois é determinada a partir da sua vida útil. Assim, por meio do método linear, é possível identificar o custo de depreciação anual a partir do cálculo: investimento para aquisição multiplicado pela taxa de depreciação, dividido pela quantidade de horas úteis no ano.

Via de regra, a depreciação é bastante calculada em casos de compra de maquinários, já que é um custo que precisa ser considerado para analisar o ROI. Em casos de locação, a depreciação já faz parte do valor total do aluguel e não causa impactos no cumprimento das atividades locais, uma vez que o gasto é de responsabilidade do locador.

Calcule o preço da área ocupada pelas máquinas

A área ocupada é um fator importante no processo de locação de máquinas. Por atingir grande parte do seu território, é fundamental levar em conta o valor financeiro que o equipamento ocupa quando está sendo utilizado ou ocioso. Por exemplo, em processos de terraplanagem, a escavadeira pode estar ocupando um local onde é necessário realizar uma drenagem.

Se o espaço é limitado e a movimentação da máquina torna-se mais difícil, provavelmente a empresa terá que adaptar o seu planejamento e flexibilizar o prazo de entrega desse serviço. Assim, esse pensamento a longo prazo facilita o desenvolvimento das atividades e estabelece uma relação mais transparente com os clientes, fornecedores e colaboradores.

Identifique o custo de energia utilizado

Para uma máquina funcionar corretamente, ela precisará de energia. Nos casos de equipamentos de transporte, como escavadeiras, retroescavadeiras e caminhões, essa energia pode ser calculada a partir do combustível que o veículo precisa para funcionar corretamente.

Idealmente, a empresa deveria apresentar um relógio de medição de energia específico para a fábrica, potencializando a sua organização ao permitir uma análise clara das despesas industriais — deixando para outro setor avaliar os custos administrativos. No entanto, para instituições que não apresentam essa distinção, existem formas para calcular os custos com a energia elétrica.

O primeiro passo é conferir o valor do kW/h da empresa, analisando a conta de luz. Em seguida, é necessário verificar a potência nominal da máquina alugada. Com esses valores, você consegue calcular o custo da hora com energia por meio da multiplicação entre a potência e o valor do kW/h.

Confira os insumos utilizados

Um insumo representa o elemento necessário para a produção de determinado produto, podendo estar diretamente ou indiretamente relacionado. Assim, se um elemento colaborou de alguma forma para a fabricação da máquina, ele já é considerado um insumo necessário.

Isso faz com que a locação de máquinas pesadas vire um insumo dentro do PCP, uma vez que a ação colabora para o desenvolvimento de uma atividade dentro da empresa, potencializando o cumprimento dos prazos, a produtividade dos colaboradores e até o gerenciamento das tarefas elaboradas no planejamento.

Entenda o custo de manutenção

O reparo das máquinas deve ser feito a partir da lógica da manutenção preventiva, realizada periodicamente para garantir a durabilidade do equipamento e a segurança dos operadores. Quando ela ocorre de forma corretiva, acontecendo somente após algum diagnóstico negativo, aumentam-se os gastos da organização, e o custo da hora fica muito mais poluído.

No entanto, quando você investe na locação de máquinas pesadas, o custo de manutenção não existe. Isso porque esse processo é feito pela locadora, fazendo com que você não precise se preocupar com os gastos de manutenção e não tenha que inserir no PCP os horários de revisão e análise das máquinas.

Some para chegar ao custo total

Nos tópicos anteriores, compartilhamos com você diversos fatores que precisam ser analisados e calculados para realizar o custo de uma máquina por PCP. Uma vez que os cálculos estão feitos, é preciso tomar o resultado de todos para chegar ao custo total. Entretanto, existem alguns fatores que não são integrados à conta quando a empresa investe na locação.

É o caso dos custos de manutenção e de insumos utilizados, já que esses dados estão inseridos no valor do aluguel diário oferecido pela empresa. Essa diminuição de informações auxilia no desenvolvimento de um planejamento mais sólido e, mais ainda, potencializa o controle financeiro da empresa, oferecendo um melhor retorno do investimento.

Custo de uma máquina parada

Até aqui, percebemos diversos fatores sobre a locação de máquinas pesadas que impactam o desenvolvimento do seu trabalho e que podem contribuir para a realização do serviço de forma mais eficaz e produtiva. Por meio da análise do ROI e dos custos por PCP, podemos fazer uma excelente avaliação de custo-benefício e concluir as vantagens de alugar um equipamento.

Outro elemento que não pode fugir de vista é o custo da máquina parada, sobretudo quando fazemos a comparação entre compra e locação. Em casos de aquisição de um novo equipamento, o gestor deve levar em conta:

  • o valor da área ocupada pela máquina parada, considerando que esse espaço poderia ser utilizado para funções produtivas;
  • o valor da manutenção, analisando mão de obra, diagnósticos, inspeções e reparos;
  • o custo ocasionado pelo desgaste natural e pela depreciação do equipamento;
  • o cálculo da hora de uso para conferir sua produtividade.

Por outro lado, existem elementos que atravessam tanto a compra quanto o aluguel, como interrupções não programadas a partir de falhas no equipamento. Acontece que, para empresas realizarem a locação, o atendimento especializado do locador oferece suporte para fazer qualquer procedimento corretivo.

Consequentemente, ele pode oferecer uma nova máquina para utilização, enquanto repara aquela que precisa de assistência. Isso evita o surgimento de um equipamento parado e impede a interrupção do fluxo de trabalho, garantindo o cumprimento dos prazos e uma atividade diária mais eficaz e comprometida com o planejamento.

Custo envolvidos na compra x locação

Não é nenhum mistério que a compra e a locação apresentam custos diferentes, certo? Neste conteúdo, falamos bastante sobre o valor da manutenção, o custo da máquina parada, os insumos utilizados, o preço da área ocupada, os elementos que impactam diretamente o ROI e a produtividade das equipes.

Além desses fatores, existem outros pontos que diferenciam os custos de compra e aluguel: preço de seguro, sistemas de rastreamento e pátios de armazenamento. Quando a empresa é dona das máquinas, ela precisa arcar com os custos relacionados aos seguros obrigatórios e às apólices de cada produto.

Ainda, a organização também deve dispor de um ambiente propício para o armazenamento dos equipamentos, uma vez que eles podem desenvolver falhas quando estão expostos aos agentes naturais, como chuva, vento e sol constante. Por outro lado, em processos de locação, você fica livre dessas preocupações.

Ainda, é o locador que garante os seguros e as apólices para uso, além de investir no sistema de rastreamento que permite acompanhar todas as operações em tempo real e otimizar a segurança dos operadores.

Pensando em um exemplo prático, imagine que o custo com a manutenção anual do maquinário é de R$ 10.000,00, o valor com os seguros e as apólices permeiam os R$ 8.000,00 anuais, sendo que ele representa apenas um investimento único.

Somente nesse cálculo superficial, a empresa economiza R$ 18.000,00 se não comprar as máquinas. Para muitas organizações, esse valor é um diferencial importante no orçamento, permitindo o desenvolvimento de novos projetos que ofereçam a expansão do trabalho de todos.

Para garantir um cálculo mais fidedigno, é fundamental analisar o valor real de cada ação e compará-lo com o preço do aluguel, levando em conta todas as despesas extras que envolvem os dois modos de negócio, como mão de obra, treinamento, juros, inadimplência, ociosidade e depreciação.

Locação de maquinário usado no agronegócio

Nos últimos anos, as atividades do agronegócio estão sendo ampliadas e modificadas para fortalecer esse setor industrial. Por isso, tomar as decisões certas garante o aumento da eficácia da sua empresa e o seu crescimento em um mercado que está cada vez mais concorrido. Com certeza, uma dessas decisões está na escolha entre alugar ou comprar equipamentos.

Algumas organizações apresentam uma linha de crédito baixa, fazendo com que as despesas que envolvem a compra de uma máquina se tornassem impactantes para o desenvolvimento do negócio. Consequentemente, a opção mais viável e produtiva se tornou a locação de máquinas pesadas, garantindo vários benefícios, como:

  • flexibilidade na produção;
  • aumento da quantidade de máquinas sendo utilizadas, o que fortalece o planejamento e potencializa a produtividade;
  • suporte de uma empresa especializada para solucionar eventuais problemas que aparecem nas máquinas;
  • diminuição do uso de crédito feito com a aquisição de novos equipamentos;
  • possibilidade de investir em outra necessidade rural e expandir o negócio.

É a partir de tantas vantagens que os gestores realizam a análise de custo-benefício e identificam qual cenário é mais benéfico para a empresa, tanto em termos financeiros quanto em ações estratégicas que prezem pela saúde dos trabalhadores e coloquem a produtividade em primeiro lugar.

Assim, no agronegócio, você pode alugar maquinários como caminhões, retroescavadeiras, escavadeiras, pás carregadeiras e minicarregadeiras. Ainda, o gestor consegue ampliar a locação e investir em equipamentos do setor de usinas, alugando misturadoras de fertilizantes, por exemplo.

Ao longo do conteúdo, compartilhamos com você várias informações importantes sobre a locação de máquinas pesadas e mostramos como esse processo oferece diversos benefícios para o seu trabalho, tanto no âmbito financeiro quanto nos setores administrativos, de planejamento e até de Recursos Humanos.

Para saber mais sobre como funciona a locação de máquinas pesadas com uma empresa especializada e garantir todas as suas vantagens, entre em contato conosco e conheça uma nova experiência de aluguel!

Translate »
WhatsApp chat