O ‘clube das 5 horas da manhã’ tem cada dia mais ‘sócios’

Para banqueiros da velha-guarda esta é uma ‘modinha’ e que faz muitos funcionários ficarem morrendo de sono às 4h da tarde

Acordar muito cedo, em grandes cidades como São Paulo, é parte da rotina obrigatória de muita gente — o trânsito, a distância entre a casa e o trabalho, a deficiência de transporte público e a necessidade de conciliar emprego e estudos entram na conta para acertar o despertador. Mas, para um crescente grupo de pessoas que não teria essa necessidade, acordar às cinco da manhã para fazer exercícios físicos, meditar, estudar investimentos pessoais e participar de “lives” em redes sociais sobre empreendedorismo e liderança tem se tornado uma opção.

Ex-agente autônomo e autor de um livro sobre caminhos para independência financeira, Thiago Nigro começou a fazer um bate-papo ao vivo com empresários às 5h06 no Instagram. Parecia um desafio duplo: além de convencer seguidores a assisti-lo, teria que convencer os convidados a participarem. Foi mais fácil do que parecia.

Com olheiras, rosto amassado e quase sempre de pijamas, empresários como Guilherme Benchimol, fundador da XP Investimentos, o apresentador Luciano Huck, sócio de uma série de negócios, Luiza Helena Trajano, presidente do conselho do Magazine Luiza, o empresário Abilio Diniz, e Alexandre Costa, fundador da Cacau Show, apareceram para falar de empreendedorismo, liderança e investimentos pessoais.

Nigro, que atingiu seu primeiro milhão de reais ao 26 anos, costuma ter em média 35 mil a 50 mil pessoas assistindo e participando das conversas no Instagram, de seus mais de 1,5 milhão de seguidores (no canal do YouTube, soma 2,5 milhões).

O ápice foi a presença de Flávio Augusto da Silva, fundador da rede de idiomas Wise Up. Silva prometeu, de antemão, detalhar sua carteira de investimentos pessoais — e tirou da cama 80 mil pessoas. A audiência equivalente a quase um ponto de Ibope (50 mil domicílios ou 100 mil pessoas).

Bruno Perini, ex-militar que ficou milionário aos 29 anos e comanda o canal Você Mais Rico, no YouTube e no Telegram, também é adepto das 5h e faz vídeos sobre educação financeira nesse horário. “Comecei por necessidade, mas mantive essa rotina quando já não precisava, por questão de produtividade”, diz Perini em um dos vídeos do seu canal, com 365 mil inscritos.

Na avenida Brigadeiro Faria Lima, onde se concentram bancos de investimento liderados pela velha-guarda do mercado financeiro, sobram críticas e piadas. “Chega quatro da tarde e metade da minha equipe está com sono”, diz um banqueiro de investimento, incomodado com o que define como “modinha”.

“Quando você fala sobre ‘5am’ tem sempre gente falando bem, que é quem acorda cedo, e gente falando mal, que é quem acorda tarde”, diz Nigro ao Valor. Não se trata de uma “modinha”, como define o banqueiro. Em diversos países os chamados “5am clubs”, ou clubes da cinco horas da manhã, têm crescido com o argumento de ganho de produtividade e disciplina.

Jack Dorsey, co-fundador do Twitter, acorda às 5h30. Jeff Bezos, da Amazon, às 4h30. Richard Branson, da Virgin, acorda às 5h, para fazer exercícios, ler o noticiário e responder e-mails “antes que o resto do mundo esteja logado”. Nos Estados Unidos, são chamados “high achievers”, algo como grandes empreendedores ou aqueles que triunfam.

Quando 5h da manhã já é tarde

No fim do ano passado, justamente em uma postagem no Instagram, o ator americano Mark Wahlberg, duas vezes indicado ao Oscar, causou espanto aos seguidores ao revelar sua rotina. Wahlberg é considerado extremamente produtivo — um dos poucos atores de Hollywood a topar gravar dois filmes de ação ao mesmo tempo. Ele foi ao extremo: acorda às 2h30 e dorme às 19h30.

Com o lema da produtividade e qualidade de vida, Vicente Falconi, presidente do conselho de administração da Falconi Consultoria, acorda às 4h e define seu dia com tranquilidade. Renato Franklin, presidente da locadora de veículos Movida, levanta-se às 5h30.

Nem todos os convidados da “madrugada” de Nigro têm esse mesmo hábito. Huck, a menos que seja a trabalho, não se levanta no escuro. Alok, DJ mais conhecido do país e dono de uma gravadora, participou “virado” após uma apresentação musical. Benchimol acorda bem cedo para correr, mas nem sempre precisa ser tão cedo assim. Abilio Diniz, por outro lado, mantém essa prática há anos — para a ‘live’ da madrugada, já estava vestido para o treino.

Translate »
WhatsApp chat